Olá, seja bem-vindo.
Este blog foi criado no dia 21 de Janeiro de 2010. Será um blog onde apenas publicarei sonetos, nada mais do que sonetos. Espero que os apreciadores deste estilo de poesia me visitem e comentem, façam críticas, para eu melhorar o que tiver de ser melhorado e me alegrar com o que estiver bem feito. Obrigada. FELIPA MONTEVERDE

terça-feira, 12 de abril de 2011

Abandono


Nas palavras sempre doces que te disse
Ardia amor por ti, em branca chama,
Mas permiti ao teu amor que me ferisse
Deixei-te destruir a minha alma.

Deixei que o teu corpo possuísse
O meu corpo enamorado, que te ama;
Deixei que esse prazer me iludisse
Abri-te os lençóis da minha cama.

Mas tu feriste de paixão o meu amor
Cravaste no meu peito esta dor,
Roubaste-me a razão e a alegria...

Trocaste-me por outra, que vendeu
O que o meu amor te ofereceu
Mas que para ti nada valia…

Felipa Monteverde

5 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema nostálgico, mas nem por isso menos belo...sentimentos à flor da pele.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

aguarela disse...

Felipa

Gostei.Não é fácil tirar o retrato ou radiografia à alma ou coração.Bem sei que nunca se consegue dizer exactamente o que se sente,mas o seu poema andou por lá perto.
Muito bom,mesmo!
Bjinhosss

Felipa disse...

Sonhadora amiga,
Obrigada pela visita. Nostalgia é um sentimento que me persegue e nem sempre consigo descrevê-lo, mas vou tentando.
Beijinho

Felipa disse...

Amiga Aguarela,
Este soneto é pura ficção, aliás a maior parte deles o é. Escrevo brincando com as palavras e para mim não passa disso.
Obrigada pela visita e comentário.
Beijinhos

Nilson Barcelli disse...

A desilusão do amor tira mesmo a alegria...
Belíssimo soneto, gostei imenso da construção que fizeste.
Beijos.