Olá, seja bem-vindo.
Este blog foi criado no dia 21 de Janeiro de 2010. Será um blog em que apenas publicarei sonetos, nada mais do que sonetos. Espero que os apreciadores deste estilo de poesia me visitem e comentem, façam críticas, para eu melhorar o que tiver de ser melhorado e me alegrar com o que estiver bem feito. Obrigada. FELIPA MONTEVERDE

domingo, 25 de abril de 2010

Castelã das dores

Moro num castelo de espuma à beira-mar
Construído com as dores que alcancei…
Pedras tão dolorosas, num penar
Que em mim morava e que um dia arranquei.

Nesse castelo condenei-me a ir morar
Sozinha… jamais a alguém encontrei
Que comigo o quisesse partilhar…
Todos recearam essas dores que mostrei.

Moro em meu castelo, na espuma dolorida
Que envolve os meus sonhos ao luar…
Sozinha vivo bem a minha vida

Não sinto a falta de contigo estar…
Sou castelã das dores na areia ressequida
Onde as vagas dos meus medos me prometem embalar…

(Felipa Monteverde)

1 comentário:

Mi (de Miguel) disse...

Castelã das dores...
esta imitação de Florbela (castelã da tristeza)
transporta-nos a um reino onde as pedras são metáfora dolorosa.